segunda-feira, 22 de setembro de 2008

O que eu sei, é que as coisas acontecem...


Quanto mais o tempo passa, mais as coisas acontecem. Já tem alguns dias que não apareço por aqui para contar as novidades. Ultimamente, estão acontecendo algumas coisas interessantes. Inclusive, irei descrever algo que me ocorreu nestes últimos 30 dias...

Como vocês já devem ter percebido, eu tenho certa "facilidade" em fazer projeção astral. Aliás, "facilidade" não é o termo mais apropriado. Me exercitei bastante para chegar até aqui e o que eu tenho certeza, é que não foi fácil. Não sei ao certo em que nível me encontro, pois me projeto e tudo é muito sutil... Sutil, mas real.

Após escrever meu último post, participei de um trabalho xamânico e, segundo o xamã que estava em contato com as forças do astral, fui orientado a seguir um mestre, aprender os seus passos e tentar seguir o seu exemplo. Solicitaram-me para parar um pouco com as leituras e vivenciar o ensinamento apenas desse mestre. E é o que eu estou fazendo.

No mínimo em dois momentos do dia, canalizo minhas vibrações em direção a este mestre, procuro entrar na mesma sintonia que a dele.
Nos primeiros dias, eram apenas práticas meditativas, passados alguns dias, comecei a rezar alguns mantras. Fiz isso até ter certeza de que eu já estava conseguindo me sintonizar e ter consciência no plano astral.
Os primeiros sintomas positivos foram sonhos lúcidos que eu tive (e ainda tenho) quando dormia após as meditações. Muitas vezes também ocorrem durante a própria meditação.
Em certo dia, rezando os meus mantras como de costume, resolvi fazer um pedido para o mestre. Lembrei-me que havia assistido uma palestra sobre viagens e projeções no astral. O palestrante havia comentado que ao nos encontrarmos no astral, devemos procurar um mestre, pois caso contrário, poderíamos entrar em alguma situação difícil. Pensei comigo:
1) Eu estou procurando seguir meu mestre.
2) Estou canalizando minhas meditações nele.
3) Estou tendo experiências com projeções astrais.

Concluí que para me aproximar mais do mestre, deveria pedir-lhe algum trabalho. Um trabalho em que eu possa estar ajudando alguém, fazendo o bem, ou qualquer outra coisa neste sentido.

Aconteceu. Durante três noites seguidas, consegui me projetar no astral.
Cheguei em uma casa. Era uma casa de fundos, como se fosse uma edícula. Nela havia apenas um quarto e um banheiro. A cor das paredes era amarela queimada, cor daqueles molhos de mostarda bem forte que encontramos por aí. Também havia um altar ao meu lado direito. Logo a minha frente, uma mesa de madeira bem rústica. Cheguei, observei o lugar e continuei minhas orações, igualmente eu estava fazendo, antes da projeção acontecer. Após certo momento, chegou um senhor.
O senhor veio em minha direção, conversamos um determinado assunto, fiz uma oração ao lado dele e ele foi embora. Fiquei orando e pensando nele.

Passado mais algum tempo, entrou uma mulher e desabafou um pouco comigo. Após ela falar tudo o que queria, ficou em silêncio e eu orei ao seu lado. Após a oração, ela se foi.
Na medida em que a mulher saía, entrava outra de mãos dadas com uma criança. Desta, eu escutei pouco e falei muito. Tive vontade de mandar energia por palavras. Fui firme e forte em relação ao meu ponto de vista. Em seguida me silenciei e ela foi embora levando a criança.
Após a mulher e a criança, não aconteceu mais nada. Continuei orando até que acordei, já na minha casa e em meu corpo, para beber água.

O que eu sei, é que as coisas acontecem...

Nenhum comentário:

Caminho

"Meu destino depende de mim, não de Deus. Os estrategistas não acreditam em predestinação, ensinam pessoas a examinar suas situações e ...