terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Contato de Tratamento



Durante todo o dia, senti uma vibração em meu cotovelo esquerdo, que oscilava de tempo em tempo. Por volta das 22 horas fui me deitar, sentindo ainda esta vibração. Era noite de lua cheia, 08 de dezembro de 2008, data em que se comemora a padroeira de Campinas – Nossa Senhora da Conceição.

Não conseguia pegar no sono, e como de costume, fiz minhas orações. Procurei emanar vibrações direcionadas à Nossa Senhora e à Yori, devido a um episódio que presenciei durante ao final de semana, pois tal fato não saía da minha mente.
Em seguida, deitado na cama com a luz apagada, coloquei meus fones de ouvido para escutar alguns pontos de Umbanda. Meu corpo amorteceu e logo eu entrei no estágio alfa.

Cheguei em um lugar parecido com uma chácara que meus pais terrestres já tiveram. Neste lugar também era noite e eu estava rodeado por árvores flamboyant. Havia uma clareira entre as árvores, e neste local, encontravam-se alguns parentes: pai, mãe, irmã e duas sobrinhas. Havia outra família, que era grande e participava da mesma situação.

Reparei que algo começou a surgir no céu... e eu já sabia do que se tratava! Era mais um contato.
No céu escuro, apareceu alguns hologramas coloridos, e na medida em que o tempo passava, os hologramas começaram a ficar mais forte, chegando a parecer mandalas luminosas, como se fosse um portal.

A situação ficou tensa, procuramos nos reunir, pois não tínhamos idéia do que poderia acontecer. Fiquei junto com minha irmã e minhas sobrinhas. As luzes se tornaram cada vez mais intensas, todos estavam agitados. O portal ficou próximo e dele sairam muitas crianças, realmente uma quantidade enorme de crianças, todas elas com presentes nas mãos. Vieram em nossas direções e entregavam presentes para todos.
Uma criança chegou até mim dizendo que meu presente havia ficado “lá em cima”. Não respondi nada, pois estava sem reação. Neste momento, meu pai a pegou no colo e disse a ela que estava tudo bem. Minha sobrinha mais velha chegou a conversar com as crianças das naves, e apesar de sua fisionomia muito tranqüila, eu fui atrás dela para que ficasse comigo.
Depois da entrega de presentes, todas as crianças retornaram de forma organizada, e em seguida, o portal lentamente se fechou.

Todos não paravam de falar, estávamos eufóricos. Enquanto o portal fechava, ele nos iluminava com luzes coloridas. Ficávamos andando de um lado para o outro, até que minha mãe me perguntou se eu havia ficado com alguma marca, mas em mim nada havia de diferente. Minha irmã veio e me mostrou marcas em sua mão direita, como uma espécie de holograma, parecia uma marca de “luz negra”. Aparentemente, mesmo com a marca em suas mãos, estava com um ar sereno. Meu coração estava a mil por hora e todo meu corpo vibrando com uma sensação muito boa, forte e inexplicável para os sentidos humanos.

Acordei com uma mulher gritando na rua: Maria! Maria! Eu estava atordoado com o fato ocorrido, mas me sentindo muito bem, a sensação realmente era muito agradável. Tudo foi real.
Agora acordado, sei que os parentes envolvidos neste episódio foram outros espíritos que se revestiram com a imagem de meus parentes para que eu me sentisse mais protegido. Levantei, bebi um copo d’água e dormi muito bem o resto da noite.
Durante o episódio todos ganharam presentes, menos eu. Mas pensando melhor, descobri que o meu presente foi o próprio contato juntamente com o tratamento que fizeram em mim: Tiraram da minha mente um um sentinmento horrível que eu sentia por ter visto uma cena pesada. Hoje já não tenho mais aquela sensação ruim. Passei por um tratamento espiritual.

A vibração em meu cotovelo esquerdo continuou nesta noite, mas ao acordar não a sentia mais...

Agradeço ao Coração de Nossa Senhora por me escutar. Também agradeço à Yori pelo carinho com que tratou. Muito obrigado!

Luz!

Nenhum comentário: