quarta-feira, 29 de agosto de 2007

O Congá

Gosto muito de investigar o modo de como os terráqueos se comunicam com o além. Sempre tem alguma história interessante, curiosa ou até mesmo fantástica. Acho que em tudo isto, sempre há um conhecimento ancestral que foi deixado de lado. Esse passado esquecido sempre acrescenta algo no modo como vejo as coisas.

Buscando mais uma aventura no Planeta Azul, organizei com algumas personas, uma ida até o local de sintonia com o post-mortem. Nesta empreitada, estavam presentes: A Persona Estrela, que já é iniciada; Persona Curupira, apreciadora de práticas xamânicas; Persona Saci, que às vezes dá os seus pulos por lá e a Persona Rosicrucianum, que é um antigo pesquisador da área. Apenas eu, Persona Rocha, e a Persona Yin não conhecíamos o local.

Era noite. Chegamos em um lugar escuro. Lá no fundo, em meio à escuridão, pude notar no centro de uma claridade, um portal. Em frente ao portal havia um guardião envolvido em uma fumaça purificadora. Fomos até lá.

Ao nos aproximarmos, o guardião já se manifestou com um ar sério, como se exigisse respeito, e nos convidou a entrar. Após alguns passos, eu e a Persona Yin já nos deparamos com mais dois guardiões, que nos colocaram sentados e pediram para que tirássemos os sapatos.

Todos vestiam branco. O local era muito bem freqüentado, percebi que as personas que se encontravam ali, pertenciam às mais variadas parcelas da sociedade. Portanto, não era um local padronizado, havia uma rica diversidade cultural.

Olhando em linha reta, pude observar flores e instrumentos de percussão. Ao meu lado esquerdo, personas femininas cantando e bailando. O mesmo ocorria ao lado direito, que era formado apenas por personas masculinas. Esta situação acontecia dentro do congá, local onde o chão era forrado por uma camada espessa de areia branca e fina.

Tudo estava sereno, um ar de tranqüilidade percorria o lugar, sintonizando todos na mesma vibração. Após algumas horas, o comandante do ritual entra em transe, dando a oportunidade para aparecer diretamente do além, a Persona Alva. Ela utilizava a roupa de astronauta do comandante, e em certos momentos, tive a impressão de não estar se sentido muito confortável, pois as expressões faciais não eram das melhores.

A Persona Alva, pelo que eu entendi, nunca aparece sozinha. Sempre há uma legião de mesma freqüência a acompanhando. Após passear por todo o congá e soltar fumaça em tudo e em todos, passou a atender algumas personas individualmente. E eu, meus amigos, fui um dos escolhidos.

No início fiquei um pouco apreensivo, mas depois a conversa começou a fluir com naturalidade. A Persona Alva me contou como aconteceu o momento da queda, ou seja, como surgiu o Vale da Morte.

Disse que houve uma grande explosão cósmica, separando todo o princípio divino. Perderam-se os valores morais e intelectuais, as Leis Providenciais foram ignoradas e substituídas pelas Leis dos Homens. O motivo da grande explosão cósmica não me foi revelado.

Sei que a conseqüência foi séria, pois a UNIDADE foi dividida em duas vias: O AMOR e a SABEDORIA.

O AMOR, por sua vez, também se dividiu em outras duas vias: A ARTE e a RELIGIÃO. E com a SABEDORIA ocorreu o mesmo, se dividiu em FILOSOFIA e CIÊNCIA.

A conversa foi longa, mas resumidamente, o enfoque da Persona Alva, foi enfatizar que para a vida dos terráqueos melhorar, será necessário juntar novamente a UNIDADE, ou seja, trabalhar com amor e sabedoria, unir a ciência e a religião. Orientou que temos que ter discernimento e paciência, pois o trabalho é muitíssimo difícil e lento. Disse que toda atividade terráquea que seja fora deste ideal, não passa de egoísmo, que é o principal elemento que nos sintoniza na Sétima Região Cósmica, o Vale da Morte.

4 comentários:

fisicaf disse...

BELAS FRITAÇÕES...
Devagar leio todas.
Abraço.
Professor Fabio Teixeira.

Eduardo Burato disse...

Grande explorador. rs

Quando der, me chame para uma investigação.


Abraços!

Persona Rocha disse...

Digníssimo Professor Fábio Teixeira,

Muito obrigado pela visita

Luz!

Persona Rocha disse...

Mago Burato,

Ultimamente, estas investigações não andam acontecendo. Porém, quando ocorrer algo que eu ache que lhe interessa, entrarei em contato.

Paz e Bem!