terça-feira, 17 de julho de 2007

Boca de peixe


Certa vez, estava eu prestando atenção nas palavras da Persona Outro... "Devemos enxergar a complexidade nas coisas simples" e desde aquele dia às vezes me pego enfocando algo que nos passa despercebido, porém é de uma grandeza inimaginável.

Possuímos uma idéia corriqueira a respeito da boca, normalmente a vemos apenas como uma cavidade situada na parte inferior do rosto, que faz parte do aparelho digestivo e respiratório, sendo o órgão principal da fala. Ela também faz parte de contextos eróticos, mas neste momento isto não será enfocado.

Apesar de nos considerarmos diferenciados dos animais, normalmente são eles que nos tem algo a ensinar e é por isso mesmo que farei uma comparação com um ser aparentemente limitado, mas que na realidade pode nos trazer uma sabedoria muito grande ao enxergarmos o complexo no simples. Trata-se do peixe, mais especificamente, da boca do peixe.

Nós possuímos um corpo, que acaba por ser reflexo de tudo que ingerimos e é justamente daí que surge a nossa similaridade com o peixe: Podemos morrer pela boca! Para começar, desde sempre o homem lida com 2 venenos, um deles é o sal e o outro o açúcar. Estes venenos aos poucos nos corroem, sem contar que inibem todo o sabor do mundo terreno, que diga-se de passagem, é maravilhoso.

Curioso é o ciclo vicioso que estes dois pós brancos nos causam, sendo semelhantes a uma droga. Ao ingerirmos certa quantidade de sal, desejamos açúcar e vice-versa. Com o passar do tempo, este ciclo vicioso tem o poder de estragar nossa roupa de astronauta e em muitos casos chegamos ao ponto de termos que abandonar o planeta. Se passarmos a ter o hábito de controlar estas duas substâncias, o mundo se tornará mais colorido de sabores e o nosso corpo permanecerá útil por mais tempo.

Nossa vida deve fugir de complexidades e conseqüentemente nossa alimentação deve ser o mais simples possível, sempre levando em conta que não devemos nos preocupar com o que vamos comer mas sim com o que vamos nos alimentar. Ao nos alimentar corretamente nosso organismo responde instantaneamente de forma positiva. No fundo já sabemos o que é saudável, apenas não temos atitudes sábias.

A boca do peixe também pode demonstrar sabedoria, pois ela não fala. Nós, seres humanos, estamos constantemente desarmonizando ambientes apenas com a nossa voz, seja pelas palavras ou simplesmente pela sonoridade. Usar voz com serenidade e gentileza é sinônimo de sabedoria. Se não temos algo melhor do que o silêncio para dizer, devemos permanecer calados (sempre quando estamos calados aprendemos algo). A mesma voz que atormenta também harmoniza, afinal de contas a voz é um reflexo do pensamento e todo pensamento possui uma freqüência...

Eu, como simples terráqueo aprendiz, encontro algum conhecimento nos detalhes ao meu redor, mas ainda estou longe da sabedoria, pois conhecer não é saber. Como todos, ainda tenho muito o que melhorar.

Licença, agora vou calar-me e voltar ao desencanto do universo.

Nenhum comentário:

Caminho

"Meu destino depende de mim, não de Deus. Os estrategistas não acreditam em predestinação, ensinam pessoas a examinar suas situações e ...